06/08/09

refúgio


Letras
, elas são o meu mais-que-valioso refúgio. Escondo a minha temerosa face obstinada em mudar o mundo atrás de cada letra mais rechonchuda, em cada espaço, na palavra mais obscura de cada frase - aquela que ninguém ousa ler -. Mascaro a minha psique com um simples mas requintado papel que transporta a minha vida, as discretas e humildes linhas que contêm as mais belas palavras, cheias de tudo e de nada, decoradas, não com flores, mas sim com o retrato da minha alma, repletas dos mais variados pensamentos, num conflito directo entre a consciência e a liberdade.

Sento-me na esplanada e penso para os meus botões na beleza contagiante da maior riqueza que alguém pode ter numa pura utilização da chamada caligrafia, um recurso, para uns, tão importante, porém, para outros tão insignificante.

Aplico a minha raiva e frustração na escrita, desabafo, levo para longe essa dor que me angustia e trago em troca pequenas gramas de encanto e paixão que preenchem - como que rosas - o meu inocente coração.
Essas letras e espaços que me permitem sonhar, voar mais alto e mais alto, mais e mais rápido, uma viagem cada vez mais intrigante e recheada de loucas e meigas aventuras, cada uma mais surpreendente que a outra. Voar e voar sem fim, alcançar o topo, ser sublime, refugiar-me no meu enorme casulo - a imaginação -, e viver feliz, num eterno conto de fadas .. é isso que realmente me motiva.



victoriaayuso.

1 comentário:

kik's ~ disse...

voa comigo, vamos fugiiiir, e voar , voar , voar!